,

Como uma metodologia de inovação te destaca dos concorrentes

A palavra “inovar” já faz parte do vocabulário de praticamente todos no mundo dos negócios.


Nenhuma empresa cresce de verdade sem uma proposta nova, algo que de fato melhore a vida do seu público em vez de apenas dar um “ctrl+c, ctrl+v” na grama do vizinho e criar mais uma loja como qualquer outra no mercado. Pode ser mais fácil falar que fazer, mas certamente não é impossível implementar uma metodologia de inovação na sua empresa.

Ainda assim, fica a questão: como promover essa metodologia? Bem, isso envolve um pouco de estudo, conhecimento de causa e, claro, um domínio específico do seu setor. Como você já tem o terceiro item, viemos aqui te dar um empurrão para os outros dois. Acompanhe e entenda como inovar no seu negócio!

O modelo da repetição

Antes de falar em metodologia de inovação, é importante que você entenda como funciona o modelo de negócios tradicional. Querendo ou não, é ele que guia boa parte da cultura empresarial em todo o mundo. Entender de onde a sua falta de inovação “nasce” é uma boa forma de conseguir quebrar esse ciclo.

Primeiro, pense na época das revoluções industriais, com grandes mudanças no modelo econômico e nas formas de produção. O trabalho artesanal, onde cada peça era única, deu lugar às fábricas, chegando a tal ponto em que os funcionários não tinham a menor ideia do que estavam produzindo. Eles eram apenas peças em uma grande engrenagem, repetindo um mesmo movimento.

Isso soa familiar? Talvez você se lembre dessa experiência da sua época de escola. Sentar em fileiras, escutar em silêncio, reproduzir na hora da prova e esquecer tudo menos de 1 minuto depois. Parece que é algo passageiro na sua vida, mas essa mentalidade fica interiorizada em qualquer mente. Antes que perceba, você tem uma enorme dificuldade para pensar de forma inovadora.

Reaprendendo a pensar para inovar

Bem, o que isso tem a ver com uma metodologia de inovação? Se você nunca inovou antes, pode começar agora, certo? “Sim” e “não” são respostas válidas.

“Sim”, pois não é tarde para começar a criar algo diferente, reinventar o que já foi inventado. Sempre existem formas diferentes de fazer alguma coisa. E há novos recursos sendo descobertos em diferentes áreas de conhecimento todos os dias. Uma nova ideia pode surgir dos locais mais inusitados.

“Não”, porque a criatividade não é uma qualidade inata. Para desenvolver um raciocínio diferente, você precisa reeducar a sua mente, exercitando outras habilidades. Se você pretende criar algo inusitado, de verdade, vai ter que buscar algo que estimule sua mente de uma forma diferente de uma linha de montagem, aí entra a tão comentada Economia Criativa.

Um(intra) empreendedor inovador é um solucionador de problemas, não um reprodutor de métodos.

A solução mais inovadora quase sempre é a mais simples

Dito isso, como uma metodologia de inovação pode dar mais destaque ao seu produto ou serviço? Existem várias maneiras, mas vamos falar de uma que é bem próxima da realidade empresarial: as startups.

As histórias são recorrentes: uma pequena empresa oferece algo simples, mas que quase ninguém tinha pensado até então ou de fato colocado ela em prática. Com um conjunto de: criatividade, investimento, empatia, resiliência e disciplina, muitas delas foram além de qualquer expectativa.

O fator chave para o crescimento dessas empresas, como você já deve imaginar, foi a criação de uma solução inovadora, simples e de baixo custo conectada a uma “dor” do cliente. Esses novos empreendedores conseguiram se aproximar do seu público, encontrar a verdadeira demanda e atendê-la com assertividade. Isso enquanto outras grandes  empresas estavam queimando neurônios com sua metodologia engessada e com comunicação repleta de ruídos entre seus departamentos.

De forma geral, o princípio de simplicidade é o que guia o sucesso de uma metodologia de inovação. Soluções muito complexas, além de possuírem mais pontos passíveis de falha, costumam cair nos mesmos problemas de sempre: alto custo e demora para comprovar  efetividade.

Menos “perde-ganha”e mais “ganha-ganha”

Outro ponto forte da nova economia é a visão ganha-ganha, com a desconstrução da filosofia de que, para você ganhar, o outro tem que perder. Nasce um espaço para um modelo de ganhos perenes e sustentáveis.

Uma das chaves para alcançar uma metodologia ganha-ganha no mercado é adotar uma atitude empática. Pensar menos no curto prazo, no seu benefício individual e mais em como cada um pensa e sente a questão, a fim de modelar uma solução que integre pontos de vistas diferentes e complementares.

É o caso de um gestor ter empatia ao solicitar uma tarefa ao seu subordinado, com prazos e condições desafiadoras mas exequíveis revendo questões quando perceber que o cenário mudou ou mesmo que estava enganado. O foco deve ser sempre nos resultados mas é fundamental  enxergar a equipe como uma orquestra que precisará de equilíbrio, ajustes, uma atitude sua como líder alinhada ao discurso, para que haja admiração, troca de aprendizado e que desta maneira eles continuem se desenvolvendo e produzindo ao longo do tempo. Ceder muitas vezes não é perder, é contribuir para que todos possam ganhar no fim das contas.

Agora que você tem uma luz sobre como criar uma metodologia de inovação na sua empresa, compartilhe insights, pensamentos nos comentários e mostre como pretende inovar com a sua equipe para fazer sua empresa se desenvolver.

 

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *